Ministro Vannuchi participa hoje (11) de exposição e de homenagem a piauienses no Museu do Piauí

11.11.2010

Exposição é lembrete contra período ditatorial

O ministro Paulo Vannuchi, da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República (SDH/PR), participa nesta quinta-feira (11), às 18 horas, da abertura da  exposição “A Ditadura no Brasil, 1964 e 1985” e da inauguração do “Memorial em homenagem aos piauienses Antônio de Pádua Costa, Antônio Araújo Veloso e Simão Pereira da Silva”.

O evento que acontece no Museu do Piauí - Casa de Odilon Nunes, em Teresina (PI), é resultado da parceria entre a SDH e o Governo do Estado do Piauí, através da Coordenadoria Estadual de Direitos Humanos e da Juventude e da Fundação Cultural do Piauí(FUNDAC).

A exposição e o memorial integram o Projeto “Direito à Memória e à Verdade”, e tem o objetivo de recuperar e divulgar fatos e acontecimentos da história social e política brasileira durante o período da ditadura militar (1964-1985). O Museu do Piauí terá placa permanente com o nome das vítimas.

Também participam da abertura da exposição o governador do estado, Wilson Martins, o coordenador-geral da Coordenadoria de Direitos Humanos e Juventude do Estado, Alci Marcus, e o senador eleito do estado, Wellington Dias (PT), e  Maurice Politi, coordenador-geral projeto Direito à Memória e à Verdade – da SDH, além da presidente da FUNDAC, Sônia Terra.

Piauienses homenageados

Antônio de Pádua Costa nasceu no Piauí em 1943, estudava astromomia no Departamento de Física da Universidade Federal do Rio de Janeiro quando começou a trabalhar no movimento estudantil. Preso, mudou-se para o Araguaia, foi Comandante do Destacamento A dos guerrilheiros. Antônio foi visto pela última vez em 24 de janeiro de 1974, quando de um intenso tiroteio com as forças armadas.

Antônio Araújo Veloso era camponês piauiense radicado na região do Araguaia, conhecido como Sitônio, foi preso em abril de 1972, durante a primeira campanha militar de repressão à guerrilha. Por sua convivência e amizade com os guerrilheiros, foi submetido a brutais torturas,
que resultaram em seqüelas permanentes, resultando em sua morte em 31/08/1976, aos 41 anos.

Simão Pereira da Silva  foi preso em  1973 no município de São João do Araguaia (PA), pelo Exército Brasileiro, vindo a sofrer na prisão torturas, espancamentos e humilhações. Após ser libertado, passou a viver em busca de tratamento médico, mas como havia sido muito maltratado na prisão, não foi possível se recuperar inteiramente das doenças que havia contraído, vindo a falecer no ano 1979, na cidade de Goiânia (GO).

Resgate da memória nacional

O projeto Direito à Memória e à Verdade teve início em 2006, com a abertura da exposição fotográfica “Direito à Memória e à Verdade – A ditadura no Brasil 1964 - 1985“, no hall da taquigrafia da Câmara dos Deputados, em Brasília. São registros de um passado marcado pela violência e por violações de direitos humanos. Disponibilizar esse conhecimento é fundamental para o País construir instrumentos eficazes e garantir que esse passado não se repita nunca mais.

Para mais informações é só entrar em contato com a Coordenadoria Estadual de Direitos Humanos e da Juventude pelo (86) 3216-2655 ou com o Museu do Piauí no (86) 3221-6027.

EVENTO

Abertura da Exposição “A Ditadura no Brasil, 1964 e 1985” e do “Memorial em homenagem aos piauienses Antônio de Pádua Costa, Antônio Araújo Veloso e Simão Pereira da Silva”
Data:
11 de novembro de 2010
Hora: 18 horas
Local: Museu do Piauí – Casa de Odilon Nunes – Praça Marechal Deodoro- Teresina, Piauí.

Edição: Catarina Santiago

FONTE: Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República(SDH/PR)



[+] Matérias de 11/2010
 
 Fundação Cultural do Piauí - FUNDAC
 Praça Mal. Deodoro da Fonseca, 816/Centro - Teresina-PI CEP 64.000-160 Tel.: (86)3221-7666